Aqui inicia o menu de navegação global superior do Portal: Deseja pular este menu?

Assistência social

TCU
Início
Cartilha de Assistência Social
Programas de Governo
Links úteis
Biblioteca digital
Voltar
Simple Text

Assistência Social (Relatório sobre as Contas do Governo da República do Exercício de 2008)

 

    No Brasil, historicamente, a assistência social sempre esteve relacionada à filantropia e à benemerência, entendidas como todo tipo de ajuda aos mais pobres, sendo fruto do conceito de caridade cristã e voltada aos desvalidos e aos miseráveis. Por meio de um processo lento, ao longo dos anos, a assistência social foi sendo considerada política pública e responsabilidade do Estado.
    Após a Constituição Federal de 1988, as iniciativas na área de assistência social e segurança
alimentar passaram a representar um novo paradigma de atendimento. Essas políticas deixaram de ser residuais e localizadas e ampliaram-se como direito de toda a população, garantindo serviços e
benefícios em todo o território nacional.
    De acordo com o artigo 204 da Constituição Federal, as ações governamentais na área da assistência social serão realizadas com recursos do orçamento da seguridade social, além de outras fontes, e organizadas com base nas seguintes diretrizes: descentralização político-administrativa, cabendo a coordenação e as normas gerais à esfera federal e a coordenação e a execução dos respectivos programas às esferas estadual e municipal, bem como a entidades beneficentes e de assistência social; e participação da população, por meio de organizações representativas, na formulação das políticas e no controle das ações em todos os níveis.
    Já segundo o art. 1º da Lei nº 8.742/1993 (Lei Orgância da Assistência Social – LOAS), a assistência social é política de seguridade social não contributiva, que provê os mínimos sociais, realizada através de um conjunto integrado de ações de iniciativa pública e da sociedade, para garantir o atendimento às necessidades básicas.
    O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS é o órgão responsável pela coordenação da Política Nacional de Assistência Social, a qual é implementada nos estados,municípios e Distrito Federal por meio do Sistema Único de Assistência Social – SUAS.


Execução orçamentária e financeira

    A função Assistência Social caracterizou-se por forte crescimento dos valores empenhados em seu orçamento, que passou, em termos correntes, de R$ 13,8 bilhões liquidados no ano 2004 para R$ 28,8 bilhões no ano de 2008 (99% dos R$ 29,1 bilhões de dotação orçamentária), conforme demonstrado na série histórica a seguir.

Simple File Série Histórica
Simple Text

    Em 2008, houve um crescimento de 17% das despesas empenhadas na função Assistência Social em relação ao exercício anterior. Contudo, o aumento mais expressivo no período ocorreu em 2006: em relação ao ano de 2005 houve uma elevação da despesa de 36%. Nos anos de 2005 e 2007, o crescimento das despesas empenhadas em relação ao ano anterior manteve-se próximo do percentual verificado em 2008; os aumentos verificados foram de 14% e 15% respectivamente. A seguir é apresentada a execução orçamentária da função Assistência Social no Orçamento Fiscal e da Seguridade Social – OFSS.

Simple File Tabela: Execução Orçamentarária das Subfunções
Simple Text

    A subfunção “Assistência ao Portador de Deficiência” destaca-se com R$ 8,4 bilhões empenhados e a subfunção “Assistência ao Idoso” com R$ 7,1 bilhões empenhados, ambas com execução de 100% do autorizado, conforme demonstrado na tabela a seguir. Ressalta-se que as despesas empenhadas nas subfunções típicas de Assistência Social representaram 61% do total empenhado na função.
A evolução da execução orçamentária das subfunções típicas da função Assistência Social nos últimos cinco anos é evidenciada no gráfico a seguir.

Simple File Gráfico: Série Histórica da Execução Orçamentária
Simple Text

    A série histórica da execução orçamentária nas subfunções típicas demonstra que as despesas empenhadas em “Assistência ao Portador de Deficiência” e “Assistência Social ao Idoso” cresceram significativamente no período de 2004 a 2008. No âmbito dessa subfunções são executadas as despesas referentes ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC, previsto no art. 203, inciso V, da Constituição Federal, o qual consiste na garantia de um salário mínimo de benefício mensal à pessoa com deficiência incapacitante para a vida independente e para o trabalho e ao idoso que comprovem não possuir meios de prover à própria manutenção ou de tê-la provida por sua família.
    Segundo informações disponibilizadas no item 5.22 da Parte V do Relatório da Atuação Governamental e no Balanço Geral da União – BGU de 2008, houve, no ano de 2008 em relação ao de 2004, crescimento de 34% no número de beneficiários com deficiência incapacitante para a vida independente e para o trabalho e de 56% no número de beneficiários idosos. A execução das despesas nas outras subfunções típicas, “Assistência à Criança e ao Adolescente” e “Assistência Comunitária”, manteve-se abaixo de R$ 2,0 bilhões durante todo o período analisado. Na tabela a seguir, é apresentada a execução orçamentária nos programas da função Assistência Social.

Simple File Tabela: Execução Orçamentarária das Subfunções
Simple Text

    O programa com maior despesa empenhada da função Assistência Social, no valor de R$ 16,2 bilhões, correspondente a 57% do total da função, foi o “Proteção Social Básica”, executado pelo MDS. Referido programa, cujo público-alvo é constituído de famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade e/ou risco social, objetiva, conforme o PPA 2008-2011, prevenir situações dessa natureza por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.
    Considerando os valores empenhados no aludido programa, destacam-se as ações “Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social à Pessoa com Deficiência”, com R$ 7,0 bilhões, e “Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social à Pessoa Idosa”, com R$ 6,6 bilhões.
    Ambas as ações apresentaram empenho correspondente a aproximadamente 100% dos recursos autorizados, conforme dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal – Siafi.
    Em 2008, no âmbito do BPC, foram atendidos 1,5 milhão de beneficiários idosos e 1,4 milhão de beneficiários com deficiência incapacitante para a vida independente e o trabalho. Esses resultados são superiores em 5% e 7% às metas físicas estabelecidas para as respectivas ações, verificação feita com base em dados do Sistema de Informações Gerais e de Planejamento – SIGPlan.
    Na execução orçamentária da função Assistência Social, destaca-se ainda o programa
“Transferência de Renda com Condicionalidades – Bolsa Família”, no valor de R$ 11,0 bilhões, correspondente a 39% da despesa empenhada total da função. Referido programa objetiva, de acordo com o PPA 2008-2011, contribuir para a redução da fome, da pobreza, da desigualdade e de outras formas de privação vividas pelas famílias mais excluídas. São consideradas três dimensões para este objetivo: o alívio imediato da pobreza, por meio da transferência de renda diretamente às famílias pobres e extremamente pobres; a contribuição para a redução da pobreza da geração seguinte, por meio do reforço do direito de acesso aos serviços de saúde e de educação, com o cumprimento das condicionalidades nestas áreas; e a articulação de ações complementares, de forma a desenvolver as capacidades das famílias beneficiárias. O público-alvo são famílias em situação de pobreza, com renda per capita mensal de R$ 60,00 a 120,00, e em extrema pobreza,
com renda per capita mensal de até R$ 60,00. A ação “Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condição de Pobreza e Extrema Pobreza” (Lei nº 10.836, de 2004), principal componente do Programa Bolsa Família, apresentou R$ 10,5 bilhões de despesas empenhadas, com 99,7% dos recursos autorizados, conforme dados do Siafi.

Adobe Portable Document Format Leia mais! Relatório Completo 2008.

O conteúdo desta página é de acesso público. Saiba mais

Receba novidades do portal por email (antes é necessário cadastrar-se).


Gestor desta página: secex-4@tcu.gov.br

Aqui inicia o mapa do portal do TCU: Deseja voltar para o topo da página?